segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Resenha – Winkie



Livro: Winkie

Autor: Clifford Chase

Editora: Bertrand Brasil

Sinopse: clique aqui. 

Bem... Como começa uma resenha de um livro tão simples e tão perfeito. No começo viajei legal na trama, mas depois comecei a sofre com o ursinho de nome Winkie – que ninguém sabe se é menino ou menina. A trama vai de leve ao pesado e o autor soube em cada capítulo colocar todos os elementos numa harmonia perfeita.

Muitas questões são desenvolvidas no livro, mas o que mais me tocou foi como as pessoas julgam os outros por serem diferente. Sei que cada um vai ter sua visão do livro, mas eu achei que as pessoas julgaram mal o ursinho por não o conhecerem. E como nós – me incluo porque sei que poderia agir assim – não conhece algo ou o lado do outro vai logo fazendo suas conclusões sem ao menos escutar o outro lado da história.

Sorri. Chorei. Sofri. Mergulhei em inúmeras sensações de forma que não sei se faço uma boa resenha só escrevo o que acho que deveria ser escrito. Gostei das montagens que fizeram – o autor pediu para colocar o ursinho em alguns lugares referentes ao livro – isso eu gostei. Parece até de verdade.

Sabe fiquei comovida com a bebê Winkie. Ela me tocou de um modo que nem sei como descrever essa personagem saída das entranhas do urso Winkie. Creio que só lendo para entender tal comoção e de como fiquei triste com os fatos. Tem também a sensação da volta a infância, sabe me tocou muito as lembranças e a construção do ursinho. Para entender tem que ler.

Na lata somos colocados no primeiro capítulo com o personagem principal sendo preso pela policia – creio que era o FBI, não me recordo - em uma cabana e a partir dessa prisão conhecemos a vida do ursinho e como as pessoas o acusam de vários crimes que nem ele mesmo sabe que cometeu. Ou seja, ele não fica ciente dos fatos até mais da metade do livro, menos nós que entendemos o que acontece de fato.

As acusações contra eles são diversas. Como a terra girar. Aliciar jovens. Fazer bruxaria. Induzir a várias coisas. A lista é enorme e o ursinho acredita mesmo que cometer tudo aqui, porém seu advogado gago e com um nome nada bom – Perdedor – vai ajudá-lo ou atrapalhar mais o caso. Tem também uma enfermeira lésbica que tentava ajudá-lo. Em meio a tudo isso somo apresentados ao autor. Sim, ele aparece em umas cenas como o dono do ursinho e no tribunal tentando defender a criatura que todos acham que é algo, mas ninguém sabe que ele é ele mesmo.

Confuso? Creio que o final não foi ruim. Fiquei impressionada e olha que o autor me fez acreditar que as coisas iam acabar de um jeito, mas foi para outro lado. 

Leiam, amem e odeiem. 

6 comentários:

  1. Oi Su!
    Nunca ouvi falar deste livro, nem visto esta capa por aí.
    Parece ter sido uma boa leitura, acho que leria sim, sua resenha está animada.


    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Cida!

      A leitura é boa e recomendo.

      Excluir
  2. Nossa, bem interessante a resenha, fiquei curiosa agora com esse ursinho.

    E o melhor é que em vez de se passar com pessoas que não sabe o que está acontecendo e o porque de ser presa (como em muitos livros), isso é com um urso! Bem original isso e agora estou doida pra ler, espero ter o livro um dia rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero mesmo que você tenha a oportunidade de ler esse livro amiga. Beijos!

      Excluir
  3. Esse livro parece ter uma história envolvente, concerteza irei ler!!

    ResponderExcluir